PROGRAMA DE LIMPEZA INTESTINAL + AZEITE DE ORÉGÃO

Tempo: 25 dias
Ingredientes necessários:

Nota: acrescentar o azeite de orégão ao procedimento original da doutora Clark para aumentar a efetividade desta limpeza.

Forma de execução:
Todos os dias, ao pequeno-almoço:

  • Tintura de casca de nozes (20 min. antes do pequeno-almoço, ver doses mais abaixo).
  • Beber uma chávena de água quente antes do pequeno-almoço
  • Tomar 3 cápsulas de curcuma.
  • Tomar 3 cápsulas de funcho.
  • Tomar 1 cápsula de enzimas digestivas.
  • Tomar 2 cápsulas de betaína.
  • Tomar 1 cápsula de cáscara sagrada.
  • Azeite de orégão (5 gotas numa cápsula vazia).
    Não ingerir diretamente já que pode causar ardor ao entrar em contacto com a mucosa bucal.

Todos os dias, ao almoço:

  • Tomar 3 cápsulas de cúrcuma.
  • Tomar 3 cápsulas de funcho.
  • Tomar 1 cápsula de enzimas digestivas.
  • Tomar 2 cápsulas de betaína.
  • Tomar 1 cápsula de óxido de magnésio.

Todos os dias, ao jantar:

  • Tomar 3 cápsulas de curcuma.
  • Tomar 3 cápsulas de funcho.
  • Tomar 1 cápsula de enzimas digestivas.
  • Tomar 2 cápsulas de betaína.
  • Tomar 1 cápsula de óxido de magnésio.
  • Azeite de orégão (5 gotas numa cápsula vazia).

Entre as refeições:

  • Lugol(solução de iodo): 6 gotas, 4 vezes por dia, em 1/2 copo de água.

Dosagem:

  • Tintura de casca de nozes: dias 1 a 5: 1 colher de sopa todos os dias em água fria.
  • Dias 8, 12, 16, 20 e 24: 3 colheres de sopa em água fria

Lembrete semanal:
Uma vez finalizada a limpeza intestinal recomendamos realizar um lembrete, uma vez por semana:

  • Tintura de Nogueira Preta: de 1 a 3 colheres de sopa em água fria, tomadas lentamente.
  • Azeite de orégão: 5 gotas numa cápsula vazia.
  • Lugol:(solução de iodo) 6 gotas em 1/2 copo de água duas vezes por dia

PROPRIEDADES DOS SUPLEMENTOS UTILIZADOS NO PROGRAMA DE LIMPEZA INTESTINAL

  1. Tintura de Nogueira Preta

    (fundamental beber com água fria, porque com água tíbia ou quente perde propriedades; manter no frigorífico e consumir antes de três semanas já que uma vez aberta a embalagem, os efeitos antiparasitários vão diminuindo).
    Contém:

    • Juglona:
      • Alcalóide fito-tóxico. Produzido pela nogueira para evitar que outras plantas cresçam à sua volta.
      • Ataca, não sóparasitas, mas também bactérias, vírus e fungos.
      • Aplicações externas eliminam alguns fungos na pele
    • Taninos:
      • São antibacterianos, anticancerígenos, antidiarréicos, quelantes, anti-hepatotóxicos, anti-hipertensivos e antitumorais.
      • São defesas naturais da planta contra herbívoros, patogénicos e condições meteorológicas adversas.
    • Lodina:
      • Antiséptico. Ataca bactérias patogénicas.

     

  2. Curcuma

    • Ajuda em problemas hepatobiliares e hepatites.
    • Protetor hepático.
    • Previne as tromboembolias e melhora a circulação.
    • Ajuda a reduzir os níveis de glicose nos diabéticos.
    • Pode controlar o crescimento tumoral.
    • Indicada em colelitíase (cálculos biliares) e colecistite (inflamação da vesícula biliar).
    • Eficaz antibacteriano.
    • É um anti-inflamatório natural.
    • Restitui o apetite.
    • Não tomar sesofrede úlcera do estômago ou hemorragias intestinais.

     

  3. Funcho

    • É carminativo (estimula lamotilidade gástrica).
    • Antisséptico.
    • Mucolítico (destruidor do muco).
    • Expetorante, com propriedades antitússica.
    • Diurético.
    • Efeitos antibacterianos.
    • Contraindicado em hiperestrogenismo.
    • Ação antirreumática.
    • Favorece a eliminação de líquidos corporais
    • Útil em glaucoma porque reduz a pressão intraocular.
    • Favorece a digestão.
    • Reduz o nível de colesterol sanguíneo.
    • Efeito antioxidante.
    • Utilizado para combater a anemia por seu alto conteúdo em ferro.
    • Favorece a menstruação e alivia as dores menstruais.
    • Ajuda a combater o mau hálito.

     

  4. Enzimas digestivas

    • Digerem os restos dos parasitas exterminados.
    • Facilitam a digestão das gorduras, proteínas e hidratos de carbono.
    • Previnem a formação de gases intestinais, devidos à fermentação de alimentos sem digerir.
    • Inibem certas sustâncias alérgicas ingeridas por via alimentícia.
    • Previnem ainflamação ea hipertrofiados diversos órgãos que constituem o aparelho digestivo, sobretudo fígado, pâncreas e vesícula biliar.
    • Favorecem os processos de limpeza e desintoxicação corporal.
    • Colaboram na redução das dores e inflamação de feridas e traumatismos, acelerando a cura.

     

  5. Betaína

    • Elimina gorduras do fígado.
    • Colabora na digestão das proteínas no estômago.
    • Ajuda a absorção de ferro e cálcio.
    • Aumenta a acidez do meio gástrico (convertendo-se num eficaz antibacteriano a nível estomacal).
    • Provoca a secreção de pepsina.
    • Melhora a absorção de vitaminas B e C.
    • Esteriliza o alimento ingerido.
    • Previne a absorção intestinal de parasitas.

     

  6. Óxido de magnésio

    • Regula o colesterol sanguíneo.
    • Regula o nível de açúcar no sangue.
    • Ajuda à assimilação vitamínica e mineral.
    • Participa como mineral intracelular essencial para a transmissão dos impulsos nervosos.
    • Participa na reparação e manutenção das células e tecidos orgânicos.
    • Ajuda o crescimento orgânico.
    • Fundamental nos processos de contração e relaxação muscular.
    • Favorece a correta utilização das vitaminas B, C e E.
    • Facilita a dissolução dos cálculos renais.

     

  7. Lugol

    (Solução de iodo).( Não utilizar se tiver alergia ao iodo)

    • Antisséptico.
    • Eficaz contra infeções bacterianas, especialmente de Salmonelasy Shigellas.
    • Não acarreta problemas a pessoas afetadas de hipertiroidismo, já que a sua atuação,na dose indicada,não afeta de forma nenhuma glândula tiroide, já que a sua ação se limita ao nível intestinal. Segundo a doutora Clark, para que o iodo do Lugol atinja a tiroide são necessárias mais de 30 gotas por dose.

     

  8. Cáscara sagrada

    • Facilita a evacuação.

     

  9. Azeite de orégão

    Incluiu-se no programa de limpeza intestinal para aumentar a sua eficácia contra determinadas bactérias e fungos. O azeite essencial de orégão despertou grande interesse nos últimos anos devido à sua eficácia, ação de amplo espectro e inocuidade.Na Terapia Clark, o azeite essencial de orégão é um dos principais agentes antinfecciosos utilizados. É especialmente útil contra as diferentes cepas de bactérias Clostridium y Streptococcus. A candidíase crónica, tão frequente atualmente, é outra doença que o azeite essencial de orégão combate eficazmente. Além disso, o azeite essencial de orégão é um potente antioxidante. A melhor forma de tomar o azeite é em gotas encapsuladas no momento em que se vai ingerir. Não se deve tomar as gotas diretamente, porque este azeite é muito agressivo para a mucosa bucal. A dose eficaz oscila entre 5 e 10 gotas por dose, 1, 2 ou 3 vezes por dia. Inicialmente pode ter refluxo e desconforto estomacal. A melhor forma para tomar é durante as refeições e aumentar a dose progressivamente. O azeite essencial de orégão não deve faltar em nenhum procedimento destinado a combater as doenças de etiologia infeciosa.

    Algumas das suas propriedades mais importantes são

    • Estimula o sistema imunológico.
    • Antinflamatório
    • Analgésico.
    • Fungicida (elimina fungos).
    • Antioxidante.
    • Antiparasitário.
    • Antibiótico.
    • Antiviral